terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Minha primeira São Silvestre

Subindo a temida Brigadeiro
Por Marcel Agarie

Meu pai correu a São Silvestre em 1989. Na época eu tinha meus 10 anos de idade. Tive muito orgulho do meu pai naquele dia ao vê-lo chegar em casa todo quebrado, com câimbras, mas extremamente feliz por ter conseguido cumprir o seu objetivo.

Pra mim era algo extremamente impossível. Lembro do treinamento que ele fazia, do desgaste que sofria. Aquilo não era pra mim.

Vinte e cinco anos se passaram e quem diria. Lá estava eu em 31 de dezembro de 2014 na Av. Paulista pronto para largar no meio daquela multidão de pessoas.

Resolvi escrever este texto pois tive milhares de medos na minha primeira São Silvestre e acredito que muitos que este ano vão corre-la pela primeira vez também podem sentir.

A São Silvestre é praticamente dividida em 2 eventos. A primeira é a corrida que é disputada pela galera da elite que larga lá na frente. E a segunda é a festa, onde provavelmente eu e você nos encontramos perdidos no meio da multidão de mais de 30 mil maníacos por corrida.


Vá para a São Silvestre desencanado
Devido ao número imenso de pessoas dificilmente você conseguirá um ótimo tempo ou baixar alguns minutos do que você realizou nos seus treinamentos. Os dois primeiro quilômetros você praticamente vai em ritmo de trote. Sem contar que após autorização dar largada você permanece ainda uns bons minutos sem sair do lugar. É muita gente! Então relaxe e curta os momentos que irá viver ao longo do percurso.


Entre no clima da festa! 
A São Silvestre é uma grande festa de celebração de final de ano em movimento. Não tem um quilômetro sequer que você não encontre pessoas fantasiadas, grupos de amigos com faixas e mensagens irreverentes. Curta estes momentos pois eles ficarão marcados para sempre na sua memória e ajudará você percorrer os 15km com mais tranquilidade.


Interaja com a torcida
Pois é, na São Silvestre você tem torcida! Por todo o percurso há pessoas nas calçadas torcendo pelos corredores. É muito divertido este clima pois não é comum em outras provas. Muitos ainda gritam o seu nome que vai estampado na sua numeração. Você irá se sentir um queniano liderando a prova.


A temida subida da Brigadeiro
De fato pensar que nos quilômetros finais você está cansado e ainda tem que enfrentar a temida subida da Brigadeiro é pura sofrência. Isto era algo que martelava na minha cabeça o tempo todo até que finalmente comecei a subi-la. Todo o pavor que eu tinha dela se transformou em energia. Não sei explicar, mas a vibe que a São Silvestre cria é algo que nunca senti em outras provas que participei. E isto não foi só comigo, outras colegas que participaram pela primeira vez também descreveram isto pra mim. Quando você chega na Brigadeiro você fica confiante e é tomado por um espírito"já cheguei até aqui, agora eu termino esta porra". Você vai ver, a Brigadeiro será mais sua amiga do inimiga.


Av. Paulista
Virou a esquina da Paulista é só alegria. Se emocione, vibre, comemore. A linha de chegada está logo ali para te mostrar que não tinha mesmo nada a temer, muito pelo contrário, agora você terá muitas histórias de tudo que viveu ao longo da corrida para contar.


Boa prova para todos! Nos encontramos lá para a minha segunda São Silvestre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Recomendado pra você

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares